História

A história do Piauí, sediado em Teresina, é bastante rica de fatos importantes, conquistas, curiosidades, boas recordações. Vamos tentar lhe passar alguns desses momentos de glória do Enxuga Rato, que ganhou esse apelido em face do técnico Ênio Silva, no auge do time do tetracampeonato, usar esta expressão quando a equipe estava dominando o adversário inteiramente. Ênio se inspirava numa música de muito sucesso da época, o baião Enxuga o Rato, composição de Luis Antônio, gravada por Zé Mamede e há alguns anos atrás regravada pela banda cearense Mastruz com Leite.

O time surgiu no bairro Buenos Aires, e este foi seu primeiro nome, quando criado a 15 de agosto de 1948. Logo mudou para Piauí Esporte Clube, por sugestão do comentarista Carlos Said. E filiou-se à Federação Piauiense de Desportos (hoje FFP), no final do anos 1950, oportunidade em que sagrou-se Campeão Piauiense de Futebol da 2ª Divisão, no ano de 1957, passando para a divisão principal no ano seguinte.

Computando-se somente os campeonatos da era profissional, no século XX (1963 a 2000), o Piaui Esporte Clube foi o único time a sagrar-se tetracampeão estadual, feito conquistado de 1966 a 1969. Mais tarde, em 1985, o time voltou a ser campeão piauiense. Foi seu último título estadual. Entre outros títulos de menor expressão, destacam-se a Taça Estado do Piauí em 1968 e 2005; a Taça Reinaldo Ferreira em 1969; a Taça Afrânio Nunes em 1966 e 1969; e o Torneio Início, em 1966, 1969, 1972, 1980 e 1987.

O trabalho das categorias de base já valeu ao Piauí uma coleção de títulos, desde a época do certame de aspirantes ao sub-18 dos dias de hoje, revelando muitos talentos, o mais famoso deles conhecido em todo o Brasil: Sima, que depois transformou-se no principal artilheiro da história do clube e do futebol do Nordeste. Com a camisa do Piauí, Sima assinalou 156 gols. Mas muitos outros ídolos construíram as páginas inesquecíveis do time rubroanil.

Dentre eles, Batista, Manoelzinho, Tuíca, Alúísio, Nonato Leite, Pila, Carrinho, Lelé, Batistinha, Cícero, Raimundo, Xavier, Chicão, Maninho, Sabará, Rui Lima, Cacá, Rodrigues, dentre tantos outros. Hoje, com uma base de jovens jogadores, o time faz uma campanha apenas regular, mas tem profissionais de grande capacidade técnica, como o polivalente Eder e o meia Willy, alem do jovem Jessé, artilheiro do campeonato, que segue os passos de outros artilheiros do Piauí que marcaram época, como Écio, Dunga, Sima, Lelé, Catita e Cacá, dentre outros.

Na parte administrativa, vários dirigentes passaram pela história do clube, mas nenhum deles com a longevidade de Reinaldo Ferreira, que está no Piauí desde 1964, tendo se afastado poucas vezes. Na galeria de ex-presidentes, podemos citar alguns nomes como Alfredo Nunes, Jaime Máximo de Alencar, Antônio Marcos de Alencar, Marco Antônio Araújo, João Franco, Adalberto Teixeira, dentre outros.

No cenário nacional, o Piauí foi vice-campeão do norte no antigo torneio Norte-Nordeste, quando perdeu as finais da região norte para o Clube do Remo, oportunidade em que, no primeiro jogo, no Lindolfo Monteiro, o Piauí goleou o Leão marajoara por 5 a 1, com um histórico e inesquecível gol de letra do meia Pila. E foi o último representante do futebol piauiense na elite do Campeonato Brasileiro, quando disputou a principal competição de clubes do país em 1986, enfrentando grandes clubes brasileiros, como Santos e Vasco da Gama.

Arquivos
Nome: Arquivo:
Piau Esporte Clube, 1967 Fazer Download